Translate

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Registrando o Tuju, Lurocalis semitorquatus.

 Há muito tempo tinha o desejo de registrar e conhecer o Tuju, Lurocalis semitorquatus, uma ave noturna muitíssima interessante.












O primeiro contato que tive com o Tuju foi observando aves na Estrada marginal da Reserva de Duas Bocas em Cariacica, aqui próximo de casa. No ano de 1988, encontramos pela manhã um individuo agonizante na estrada, talvez atacado por algum predador. Pudemos manuseá-lo, conferir suas medidas e concluir tratar-se do Tuju, Lurocalis semitorquatus.

Posteriormente, por equivoco, atribuímos ao Tuju alguns registros que na verdade seriam do Bacurau Nyctidromus albicollis. O Tuju, sabemos hoje, não se posta no solo como faz o bacurau!

Mas somente em 3.11.2015 pude efetivamente confirmar sua ocorrência no município de Cariacica e na região das matas de Duas Bocas. Naquele que foi o primeiro registro dessa ave para a região. Apenas consegui gravar o canto da ave no crepúsculo.

Canto Tuju

Posteriormente também ouvi esse canto bem próximo, dentro da Reserva da Vale do Rio Doce em Linhares. Porém, o aparecimento da ave no crepúsculo é muito rápido e dificulta bastante conseguir-se uma foto.

Mais recentemente, em 27.11.2021, na excursão ao Itatiaia e guiado pelo Hudson Martins, também localizamos novamente o Tuju. Dessa vez,  na localidade de Queluz em São Paulo, vale do Rio Paraíba do Sul. Em uma capoeira rodeada por pés altos de eucaliptos, onde também encontramos o Bacurau ocelado, Nyctiphrynus ocellatus e também a Coruja do Mato, Strix virgata,  Estavamos nos preparando para o aparecimento do Bacurau ocelado quando na tardinha, no crepúsculo, o Tuju vocalizou!

Quase ao mesmo tempo, eu e Hudson falamos:  O  Tuju!

Imediatamente pus-me a postos para conseguir alguma foto, mesmo sabedor de que nessas condições é muito difícil capturar uma ave dessas! Tentei diversos cliques já que ele passou voando umas três vezes no alto, sobre os eucaliptos e repetindo seu canto!

Desses cliques, o mais próximo de uma "foto"  foi esse ai abaixo:


No Wiki Aves  são poucas as fotos dessa ave voando. O que é uma pena porque ela fica magnifica no voo.

Mesmo sendo uma pseudo  foto, podemos notar aqui uma das características do Tuju: sua cauda curta sobressaindo-se pouco do corpo.















Foi então que, de volta a Vix, surgiu a oportunidade de registrar finalmente o Tuju, mas durante o dia, em seu pouso diurno.
O Convite partiu do colega e Guia Roberto de Oliveira Silva, amigo da AMOAVES de Domingos Martins que soube de um pouso da ave no município de Santa Leopoldina e nos guiou até lá.


Agradecemos ao Roberto por esse interessantíssimo registro dessa ave misteriosa.













A magia da observação de aves não se resume na foto ou simples registro numérico de um lifer! O prazer é conhecer a ave, seus hábitos e particularidades como descrevemos nesse teto. Porém, ainda pensamos que tem muito a ser observado pelo Tuju e continuaremos atentos para as particularidades desse bacurau.
Pelo Wiki Aves, podemos ver que não estamos tratando de uma espécie rara, apenas incomum de ser observada com calma devido seus hábitos noturnos e florestais. A espécie distribui-se do México até a Argentina. É um bacurau da família Caprimulgidae, alcançando um comprimento médio de 19 a 29 cm.

Abaixo, o mapa dos registros atuais do Wiki Aves da espécie:

Então, o Tuju é espécie muito frequente, não está ameaçado!

Nossa dificuldade é encontra-lo para estuda-lo e fotografa-lo.















Fonte: www.wikiaves.com.br/tuju


Pessoal, muito obrigado pelas visitas e que tenhamos em 2022 saúde e muitas observações de aves a relatar!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pela visita e comentário!