Translate

quinta-feira, 21 de setembro de 2023

Beija flores registrados em nossa visita ao pantanal!

 Nossa  recente visita ao pantanal de Mato Grosso, após cinco anos ausente dessa maravilhosa região natural, foi muito proveitosa quanto aos registros de beija flores. Apenas um deles, o Beija flor de garganta verde, Chionomesia fimbriata  pode ser chamado de comum. Os demais que registramos são beija flores não comuns e alguns até raros.


Chionomesia fimbriata é um beija flor

comum em diversas paisagens e regiões do Brasil. Facilmente registrado no Estado do Espirito Santo.

A foto ao lado foi feita em Poconé, nas cercanias do Hotel Porto Cercado.








Esse é o Beija flor Esmeralda de cauda azul, Chlorostilbon  mellisugus. Presumimos que esse beija flor deveria ser raro n o Pantanal pois localizamos apenas uma foto no Wiki Aves para o local.
Trata-se de um beija flor muito bonito com sua cor verde.

Seu registro foi uma sorte desse observador pois não imaginávamos tratar-se de ave difícil de se encontrar.






Outra foto do Esmeralda, sem duvida uma espécie muito  linda.














Foi o primeiro registro do Rabo branco rubro, Phaethornis ruber para Poconé. O que para nós foi uma surpresa, pois não ainda não existiam registros dele para o município de Poconé. Apesar de existirem já registros desse beija flor para o município de Cuiabá.

Esses beija flores estavam se alimentando nas flores dos ingazeiros existentes no fundo do terreno do hotel.





Outra  foto do Rabo branco rubro.

Destacamos que essa avezinha, possui 8,6 cm. de comprimento e pesando entre 1,8 a 2,2 gramas!

E não é fácil de ser encontrada!














Finalmente, o registro que consideramos o mais surpreendente! Já tínhamos no WikiAves muitas fotos desse beija flor para o pantanal.
A surpresa foi encontra-lo entre os pavilhões da área de turismo do hotel.
Rabo branco de sobre amarelo, Phaethornis nattereri, mede cerca de 13 a 14 cm. e a grande característica é que se trata de uma espécie endêmica do Mato Grosso. Até hoje, esse beija flor somente foi registrado no Mato Grosso.


Os pés de Ingá, existentes nos fundos da área do hotel onde estão os pavilhões, estavam com muitas flores e muito visitados por Beija flores.

E, para nossa surpresa, lá encontramos esse beija flor que como dissemos, até hoje só foi registrado até o momento dentro dos limites de Mato Grosso, principalmente na parte sul do estado.






Obrigado pessoas que nos visitam!!
















segunda-feira, 11 de setembro de 2023

Filhotes de Jacurutu, Bubo virginianus no Pantanal.

 Entre os dias 31 de agosto e 05 de setembro próximos, estivemos na RPPN SESC PANTANAL, observando aves  pela quinta vez naquela região muito fantástica.

Fomos surpreendidos por um piado, na verdade, um "chiado" de corujas vindo de um dos pavilhões de hospedagens.

Procuramos e encontramos os autores de tal façanha, dois filhotões do Jacurutu, Bubo virginianus.

Em visitas anteriores já havíamos registrado essa grande coruja na área, desta vez, não vimos os adultos, apenas esses dois filhotes já bem crescidos, e, pelo visto, já procurando comida por conta própria:


No pantanal, as pessoas chamam esse corujão de "João Curutu", talvez devido a seu canto. Essa coruja é o maior rapinante noturno no Brasil e do continente, alcançando 60 cm. de comprimento, chegando as fêmeas, a pesar cerca de 2,5 kg.

Alimenta-se de mamíferos menores como ratos, gambás, preás, lebres, etc.

Faremos postagens a seguir, relatando os resultados de nossa ultima viagem de birding,

Obrigado  pessoas que nos honram com suas visitas!!!


domingo, 23 de julho de 2023

NOVAS: Gavião urubu aparecendo muito em Jardim da Penha, Vitória,ES.

 Já fizemos algumas resenhas  sobre o Gavião urubu, Buteo albonotatus, aqui nessas páginas! Porém, frequentemente, somos surpreendidos com as visitas ou registros de alguma ave que nem sempre podemos chamar de comum.



Buteo albonotatus planando em atividade de caçada, muito próximo a meu apartamento.

Esse gavião, que no voo pode ser confundido com um urubu, apresentando inclusive as primárias abertas quando está planando, tem aparecido bastante em nossa região. Essas fotos foram do dia 17 de julho próximo, e, entretanto, ontem dia 22, vemo-lo planar novamente sobre o bairro. Talvez seja o mesmo individuo, que esteja utilizando o bairro como seu território de caça.



















Hábil planador, esse gavião, possui um porte grande, com cerca de 51 cm. de comprimento, envergadura de 129 cm. e peso de 830 gramas segundo o Wiki Aves. Caça mamiferos e aves, e, aqui em Jardim da Penha, ele tem a disposição uma boa população de aves como rolinhas e pombas de asa branca.

Segundo SICK, esse gavião, de fato imita um Urubu de cabeça vermelha, Cathartes aura, de forma que, ao se apresentar como um urubu, muitas de suas presas permitem sua aproximação o que facilita muito sua caçada que assim pode captura-las.


São as belezas e surpresas do mundo das Aves.

Muito obrigado às pessoas que nos visitam!!!

sexta-feira, 14 de julho de 2023

O reporter 'FOTOGRAFAVES" em ação na Ilha do Boi.

 

FOTOGRAFAVES, O REPORTER!!


Hoje, 14 de julho de 2023, dia da chegada de muitos ventos ( o  ciclone Extra tropical também chegou, pelas pontas, até aqui!) fui até a Ilha do Boi procurando noviaves, ou melhor, novidades!

Então, eis que fazendo um esforço para voar contra o vento, surge gritando e navegando  o Cauré, Falco rufigularis.



Eram  dois indivíduos. Como voavam muito alto, não consegui foto muito boa, apenas para destacar esse falcão, muito bravo e predador, dentro da cidade.


Também, logo a seguir, surgiu uma  Fragata jovem, Fregata magnificens.


Com essas duas fotos e muito vento, o Repórter se recolheu, para novas aventuras com aves!


Obrigado pessoas que nos visitam!!

domingo, 9 de julho de 2023

ENCONTRO DE "PASSARINHOLOGOS" em Domingos Martins, ES.

 No final de Junho recente, participamos de um encontro de passarinheiro(a)s em Domingos Martins, nas montanhas capixabas, para a gravação do programa da Rede Gazeta do Espirito Santo, intitulado "Em Movimento".

https://globoplay.globo.com/v/11764742/

O Objetivo de nossas associações de observadores, COA e AMOAVES, é divulgar e ressaltar a importância da atividade de observação de aves, contribuindo para a preservação de nossas aves, e, ao mesmo tempo, propiciar muitos benefícios correlatos como o eco turismo, o conhecimento de nossa riqueza natural, o respeito pela natureza e também, até mesmo beneficiando o comércio de artigos usados na atividade como binóculos, máquinas fotográficas, etc. e se tornando também uma importante ferramenta auxiliar dos pesquisadores, contribuindo para a localização de espécies mais raras e do dimensionamento das populações remanescentes das aves.

O programa focou no encontro com o Fruxu baiano, Neopelma aurifrons, ave que é rara e que havia sido registrada apenas uma vez no município de Domingos Martins.

Adicionalmente, registramos outras belas aves conforme fotos a seguir:




Murucututu de barriga amarela, Pulsatrix koeniswaldiana.

Uma das maiores corujas da Mata Atlântica, apresentou-se durante o dia, bem calma, dentro da mata, ao ouvir o som do playback. Talvez essa seja, pelas nossas observações e corujadas, a coruja grande ( tamanho em torno de 50 cm.) mais facilmente avistada em nossas matas.


Uma das aves mais importantes avistadas na excursão foi esse Tropeiro da Serra, Lipaugus lanioides.

A altitude do lugar, 610 m., é propicia para esses cotingas, que são muito interessantes apesar de discretos na plumagem.

Primo do famoso Cri-cri-ó, Lipaugus vociferans, eles são parecidos, mas, apesar de ambos habitarem as matas, possuem diferenças ecológicas, com o Cri-cri-ó preferindo a Amazônia e as matas de baixada, do leste do Brasil, Pernambuco até o ES,  aqui no ES, nas reservas da Vale e de Sooretama.



Finalmente, depois de algum tempo, o procurado apareceu! Ouvimos seu canto caracteristico nas proximidades, e logo a ave pousou perto. O Fruxu baiano é um passarinho pequeno, endemico da mata atlantica e com poucos registros no Espirito Santo. Podemos aquilatar sua raridade, pelos registros no Wiki Aves:










Fonte: Wiki Aves; https://www.wikiaves.com.br/mapaRegistros_fruxu-baiano.

São, de fato, poucos os registros no ES, Bahia e Minas Gerais.

E a situação no campo, do Fruxu baiano, ainda segundo oWiki Aves:


Ameaçado e classificado na posição VU, de vulnerável.

Portanto, foi uma escolha muito bem feita pelo Roberto da AMOAVES, para servir como a ave "chamariz" para essa excursão da filmagem do programa "Em movimento".













Fizemos registros de outras aves interessantes no trajeto, como: 























Um bando de Tiêtinga, Cissops leveriana.























Arapaçu liso, Dendrocincla turdina.















Surucuá-variado, Trogon surrucura.

OBRIGADO, pessoas que nos visitam!!!

terça-feira, 20 de junho de 2023

FOTOS DE AVES COM A CANON EOS R7

 Mostrando a seguir, algumas das fotos feitas com a nova câmera Canon R7. Chamou-me atenção sua resolução encantadora, seu sistema de foco rápido e preciso.


Canário do campo, Emberizoides herbicola, fotografado na região dos alagados do contorno do monte Mestre Álvaro.







Esse Cauré, Falco rufigularis, foi fotografado na estrada de Sertão Velho, próximo à Reserva de Duas Bocas.










Essa ave, o Cuspidor de máscara preta, Conopophaga melanops, foi fotografada na mata da Reserva de Duas Bocas.

Essa foto foi feita na penumbra sem flash, o que precisou de um ISO de 12.800., foi possível tratar o ruido de granulação.








Figuinha de rabo castanho, Conirostrum speciosum, foto tirada nas imediações dos alagados do contorno do Mestre Álvaro.
Aqui pode-se notar a capacidade de resolução da câmera, capturando até mesmo as finíssimas teias de aranha presentes no momento.













O Pássaro-preto, ou Graúna, Gnorimopsar chopi,  era ave de se prender em gaiolas. Antigamente muitos admiradores, colocavam essa ave em gaiolas para apreciar seu canto melodioso. Esse canto já foi até falado na musica popular, como em Assum preto, de Luiz Gonzaga.
Essa foto foi feita nos Alagados do contorno do Mestre Álvaro.







Também nos alagados, que, em conformidade com o nome é uma região baixa de muitas áreas alagadas, avistamos muitos Pernilongos, todos de costas brancas, Himantopus melanurus.










Mais uma ave comum nos alagados: a marreca Ananaí, Amazonetta  brasiliensis.









Essa avezinha incrível, o Tangará rajado, Machaeropterus regulus, foi fotografada nas proximidades da Reserva de Duas Bocas, na localidade de Sertão Velho.

É ave das matas de baixada, e já a registramos além de Duas Bocas na parte baixa, também na Reserva da Vale em Linhares, na Reserva de Putiri em Aracruz. Parece que  necessita de matas preservadas mas não necessariamente muito extensas. Notar que aqui, também, foi preciso tratar o ruido de granulação.



Fotografar aves voando é uma arte muito estimulante! E requer certas habilidades, entre elas, dominar as características da câmera. Essa foto do Trinta réis de bando, Thalasseus acuflavidus, foi feita na Ilha do Boi em Vitória. Dia muito claro, a foto não ficou boa, mas, entretanto, o sistema de focagem acompanhando os olhos da ave funcionou.




Também na Ilha do Boi, consegui fotografar essas Batuíras de bando, Charadrius semipalmatus voando graciosamente em bando.






A todos visitantes, agradeço pela atenção!




domingo, 28 de maio de 2023

VIAGEM AO CEARÁ E AS AVES REGISTRADAS!

 Entre os dias 15 a 20 deste mês de Maio, fizemos viagem até o Ceará. Saindo de Vitória às 10,05 hs., chegamos a Fortaleza às 13,45 hs.
















Nosso destino final foram as paradisíacas praias do município de Amontada. Icaraí de Amontada, também chamada carinhosamente de "Icaraizinho" e Moitas, alguns quilômetros adiante.

Uma imagem típica do Ceará: a Carnaúba, Copernicia prunifera, plameira muito linda, que forma extensos coqueirais.

Trata-se de espécie recentemente reconhecida como ameaçada.

É uma árvore de onde tudo se aproveita, desde as raízes até suas folhas. 

*imagem retirada da Internet: Blog do Edu Ambiental.






Não são praias selvagens, afinal, estamos em 2023! Porém, a limpeza e natureza desses lugares é fantástica!











A variação da altura das marés, entre o reponto da maré alta e a baixa, é praticamente o dobro das verificadas em Vitória, alcançando quase 3 metros!

Decorre disso, então, que na maré baixa, a praia fica com uma grande extensão de areia molhada, onde abundam os pequenos seres que são presas para as aves, como minhocas de praia, vermes, caranguejinhos, etc.

Nessa época do ano, os maçaricos e outras aves marinhas já voltaram ou estão quase chegando a seus destinos no hemisfério norte, principalmente as tundras do Canadá ou o polo norte. Em Vitória, situada mais de 2.000 Km. ao sul, no paralelo de 20 graus, essas aves já partiram há um certo tempo e, até mesmo o Maçarico pintado, Actitis macularius, que é o ultimo a ir embora, já embarcou nessa longa viagem de volta.

Então, foi com um certo encantamento, que localizamos quatro espécies de Maçaricos nessa excursão, na praia de Icaraizinho. Numerosas são as batuíras, principalmente a Batuíra de bando Charadrius semipalmatus e a Batuíra de coleira, Charadrius collaris. Finalizamos com uma rápida excursão ao Parque Estadual do Cocò, em Fortaleza, onde também observamos aves e fizemos fotos! 

Passemos então, a algumas fotos das espécies.

A praia é muito rica em peixes e vida marinha. Essa Carcará, ´Caracara plancus capturou um peixe. 







O Martim pescador grande, Megaceryle torquata também pegou o seu e passou voando na nossa frente pedindo uma foto!












A Batuiruçu de axila preta, Pluvialis squatarola é ave muito bonita e aqui no ES é algo raramente vista!

Vimos um bando de 8 indivíduos forrageando na Praia de Icaraí, o que nos alegrou bastante.

É uma ave calma, e permitia nossa aproximação até certo ponto. Esse individuo fotografado está em plumagem de descanso reprodutivo.





Ao voar, a ave deixa à vista  sua axila preta, que lhe dá o nome popular!

Observar também o substrato em que elas ficam forrageando, lugares úmidos e cheios de vida de animalejos!









Batuíra de coleira, Charadrius collaris.

A mais comum nas duas praias. Aqui no ES, registramos essa batuíra nas praias da foz do Rio Doce, em Linhares.











Batuíra de bando, Charadrius semipalmatus.

Comum aqui em Vitória e lá nas praias também, porém, perde em quantidade para a Batuíra de coleira.










Um bando de Maçaricos rasteirinhos, Calidris pusilla. Contei mais de 20 indivíduos! Esses maçaricos foram acolhidos por um bando grande das Batuíras de bando. Seu comportamento é bem conhecido: a sua locomoção quase sempre se move "rasteiro", sempre olhando para baixo, talvez daí venha seu apelido.


Em meio a esses bandos grandes de batuíras, olhando com calma, podemos localizar algum "acolhido" diferente!

Além dos maçaricos rasteirinhos, vimos também esse aí ao lado, um Maçarico branco, Calidris alba, também acolhido pelas batuíras. Esse, talvez seja um dos retardatários que perderam seu bando que certamente já deve estar chegando ao Canadá.







No meio dos bandos de Batuíras, encontramos os maçaricos, mas esse aqui foi uma surpresa.

Trata-se do Maçariquinho, Calidiris minutilla. 

Apenas um individuo acompanhava  as Batuíras de bando.









Apenas um individuo de Vira Pedras, Arenaria interprens, se encontrava nos bandos mistos que forrageavam nas areias da praia de Icaraí de Amontada.










Uma das cenas mais bonitas da excursão, essa Gaivota de cabeça cinza, Chroicocephalus cirrocephalus sobrevoou a praia e depois, pousou suavemente na areia para tentar se alimentar dos pequenos seres que vivem na vaza da maré.




Não apenas na praia, mas nas proximidades, nos coqueiros, avistamos dois belíssimos indivíduos de Encontro, Icterus pyrrhopterus. Conseguimos que um deles descesse próximo de nós e obtivemos essa foto:


Exímio cantor, o Encontro é um icterídeo, que, devido a seu canto melodioso, infelizmente é capturado para servir como "pássaro de gaiola".










O último dia de nossa estadia no Ceará foi passado em Fortaleza, onde visitamos o Parque Estadual do Cocó. Devido a muitas chuvas, infelizmente não foi possível visitar algumas das trilhas mais importantes do parque. 

Na ocasião, ficamos conhecendo o Pica-pauzinho da Caatinga, Picmumnus limae, bastante semelhante a nosso Picapauzinho barrado Picumnus cirratus.

O macho de Picapauzinho da caatinga.
No caso do cirratus, tanto a fêmea quanto o macho possuem a barriga e peito barrados.














Também vimos um bando de Carão, Aramos guarauna. Forrageavam calmamente no substrato encharcado da floresta.














O Belíssimo Pica pau Ocráceo, Celeus ochraceus, forrageava no alto das arvores.

Trata-se de espécie endêmica do Brasil, com vasta distribuição em vários estados.











E no final a excursão registramos o Beija flor de barriga branca, Chrysuronia leucogaster, na beira da mata, já nos limites urbanos.












Foi uma ótima viagem e excursão, mas ficamos com a ligeira impressão, que para se conhecer a avifauna do Ceará, torna-se obrigatório, excursões mais longas e explorando localidades mais para o interior. As serras do Araripe e do Baturité são importantes redutos da fauna local e isso, talvez venhamos a fazer em um futuro próximo.

Muito obrigado  às pessoas que nos honram com suas visitas e  o interesse por nossas aves!!