Translate

quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

PASSARINHANDO NAS SERRAS ALTAS DO SUDESTE DO BRASIL!

 

EXCURSÃO ÀS SERRAS ALTAS DO SUDESTE: ITATIAIA E BOCAINA.

 

Entre os dias 24 e 27 de novembro, p.p., estivemos na divisa dos estados de Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, em uma excursão de observação de aves. Essa excursão foi planejada há tempos, e constou deste observador, José Silvério, minha esposa, Aninha Delboni, a colega do COA/ES, Celi Aurora e o guia de birding, Hudson Martins Soares, da BirdRio, profundo conhecedor da região e seus bichos.

Foram vários os motivos de nossa excursão, o primeiro deles, foi conhecer um pouco sobre algumas aves muito interessantes do alto dessas serras, como a Saudade, Lipaugus ater, O bacurau-tesourão, Hydropsalis forcipata e o Gavião de sobre branco, Parabuteo leucorrous. E tantas outras aves habitantes dessas regiões, de altas altitudes, e até hoje, florestadas por uma mata extensão e alta, remanescentes primários da mata atlântica.

Várias outras espécies são habitantes desses lugares, e, também, apreciar as belíssimas paisagens e sua vegetação singular. Nessas regiões, as altitudes chegam a mais de 2.700 metros como no Parque Nacional de Itatiaia ou a 2.000 m. na serra da Bocaina.


Nossa viagem iniciou-se na localidade de Itatiaia, na parte baixa, dai seguindo em direção ao Parque Nacional de Itatiaia, situado nos contrafortes da belíssima Serra da Mantiqueira, A serra, em toda sua imponência pode ser vista ao fundo nesta foto feita na Rodovia Pres. Dutra.



 












A belíssima paisagem da Serra da Mantiqueira ao fundo, lembra as palavras de Charles Darwin, quando viu a mata atlântica: “ao fundo, as matas ficam cobertas por um suave toque azul”.

A mata secundária vista de um mirante da subida.





O interior penumbroso da floresta. Lugar da Maria Leque do Sudeste, Onychorhynchus coronatus.


Já nas altitudes acima de 2.000, a mata apresenta-se mais baixa, com grande quantidade de bambus e taquaras. Lugar da Borralhara Mackenziaena severa, do Matracão, Batara cinerea e da Borralhara assobiadora Mackenziaena leachii.


Matas de altitude, próximas aos campos de altitude. Essas matas possuem árvores mais baixas que na mata da encosta. As árvores alcançam uns 12 m. de altura. É o lugar preferido da Saudade, Lipaugus ater, belíssimo cotingideo. Também é um local habitado pelo Bacurau-tesourão, Hydropsalis forcipata. Porém, não vimos essa ave em nossa viagem.


No alto da serra, a 2.500 m. de altitude, na zona de contato mata-campo, surgem as formações de coníferas nativas, as araucárias, a Araucária angustifólia, o belíssimo pinheiro brasileiro que é típico da região sul do país, mas no Itatiaia devido a altitude, ocorre nas matas nativas e com regeneração natural.














Ao fundo e antes do sopé da serra, pode-se ver uma floresta jovem de araucárias, nativas da região.



Nas proximidades de uma pousada, a araucária imponente.

 


 









Na subida da Serra da Bocaina, as encostas tomadas pela Floresta Atlantica!.

 


















O belíssimo horizonte visto da Serra da Bocaina. Ao fundo, pode ser vista a Serra da Mantiqueira. O espaço entre as duas cadeias de montanhas é ocupado pelo eixo metropolitano Rio-São Paulo, as duas maiores metrópoles do país.

 

Na próxima postagem, mostraremos as fotos das aves que registramos nessa incrível excursão. Por enquanto, estamos tratando as imagens.

 

Muito obrigado pelas pessoas que nos honram com suas visitas!!

 











4 comentários:

  1. Texto muito bem escrito, relata exatamente como é o lugar, com suas belezas e fascínio. Parabéns, Silvério, você descreveu com muita clareza o que presenciamos na viagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Celi, depois farei uma publicação sobre as aves reistradas em nossa excursão.

      Excluir
  2. Bom, o lugar é realmente sensacional, eu moro aqui e conheço bem. O que foi relatado pelo Sílvério, eu assino embaixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por tudo Hudson. Todo o sucesso dessa expedição se deve a seu incrível talento em descobrir e atrair as aves para perto!

      Excluir

Muito obrigado pela visita e comentário!